Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Prefeitura de SP acerta parcerias com Ministério da Educação

INCLUSÃO DIGITAL

Educação

Prefeitura de SP acerta parcerias com Ministério da Educação

Acordos têm objetivo de aprimorar ensino da rede municipal com novos equipamentos e sistemas de avaliação mais amplos
Equipamentos de informática devem ser utilizados nas escolas públicas

 

O prefeito de São Paulo, João Doria, e o ministro da Educação, Mendonça Filho, se encontraram nesta quinta-feira (9) com o objetivo de fechar duas grandes parcerias na área da educação na capital paulista. Com o incentivo do Governo Federal, o município poderá adquirir novos equipamentos de informática e também aplicar novos métodos para avaliar o ensino oferecido aos alunos matriculados na rede municipal.

“É prioridade da gestão municipal na área da Educação a digitalização. Colocar a tecnologia à serviço de crianças e adolescentes da Rede Municipal de ensino. Esse foi o nosso pleito ao Ministério da Educação e o ministro prontamente, com os órgãos responsáveis, nos atendeu. Este é o primeiro investimento de uma série com esse objetivo, de fortalecer e agilizar esse programa de digitalização nas escolas públicas municipais”, disse o prefeito.

Os temas estão alinhados com o projeto pedagógico assumido pela atual gestão. Confira os detalhes das parcerias:

Aquisição de equipamentos de informática

Serão adquiridos 8,5 mil equipamentos de informática, no valor de R$ 26,9 milhões, para permitir a implantação do currículo digital na cidade. A transferência do valor será por meio do termo de compromisso que foi assinado e executado no âmbito do Plano de Ações Articuladas (PAR), do Ministério da Educação.

O recurso transferido tem o objetivo de modernizar os Laboratórios de Educação Digital em 242 Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs), com notebooks e impressoras 3D. Isso permitirá a criação de um currículo educacional que trabalhe a linguagem e a inclusão dos alunos no mundo digital, um novo conceito de utilização das tecnologias na aprendizagem.

“Nós estamos mudando de conceito. Não é o mesmo laboratório de informática, não será a mesma coisa. Esses equipamentos virão para que a gente mude a forma dos alunos utilizarem a tecnologia na escola, na aula de programação, para desafios e resolução de problemas, também incorporando a robótica nessas aulas. Então estamos mudando o paradigma dos laboratórios de informática”, disse o secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider.

Implantação de novas provas unificadas para avaliação do aprendizado

Com o objetivo de aprimorar os modelos de avaliação de aprendizagem na rede municipal de ensino, será assinado um termo de cooperação técnica com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) para recalibrar a escala da Prova São Paulo, de acordo com o que é aplicado pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (SAEB).

“O sistema de avaliação é básico para que a gente possa acompanhar o processo de evolução da qualidade da educação em qualquer rede, estadual ou municipal. A Prefeitura de São Paulo tem compromisso com a qualidade. Quando a gente aprimora esse intercâmbio, do ponto de vista de processo de avaliação, a gente está primando pela qualidade da educação pública aqui na cidade, com mais integração”, afirmou o ministro da Educação, Mendonça Filho.

O termo também prevê o apoio à cessão de itens do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA) e avaliação dos alunos que participam da Educação de Jovens e Adultos (EJA); ceder itens da Provinha Brasil para a elaboração da Provinha São Paulo e trocar conhecimento a respeito de pesquisas nas áreas de Ciências da Natureza e Ciências Humanas, em avaliação de larga escala.

Outra medida prevista no termo é a implantação dos exames por meio do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA – sigla em inglês) na rede municipal. Considerada a mais importante avaliação internacional da educação básica, a prova é aplicada a estudantes com idade entre 15 e 16 anos de 70 países.

Esses novos modelos permitirão o aprimoramento dos sistemas atuais de avaliação e de aprendizagem na rede municipal de ensino. Por isso, também será recriada a Prova São Paulo, a elaboração da Provinha São Paulo e a instituição de uma avaliação para os alunos do EJA.

Base curricular

O prefeito e o ministro também assinaram, durante o encontro, um protocolo de intenções de cooperação técnica para a implantação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) na rede municipal de ensino de São Paulo. Haverá troca de informações, intercâmbio de pessoal para atuar em projetos conjuntos e de experiência para implementação de ações da educação básica.