Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Prefeitura Regional Penha está liberada para acessar o SISZON

GEORREFERENCIAMENTO

SISZON

Prefeitura Regional Penha está liberada para acessar o SISZON

O SISZON é fundamental para gerenciar o uso e ocupação do solo da Cidade, pois tem a função de atribuir o zoneamento e a classificação viária para cada lote do município
Prefeitura Regional Penha tem acesso a Siszon

 

O Núcleo de Geoprocessamento da PRODAM, Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Município de São Paulo, entregou à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU) uma ferramenta inovadora de geoprocessamento para consultar e atualizar os dados do Sistema de Zoneamento da Cidade de São Paulo, o SISZON.

O SISZON é fundamental para gerenciar o uso e ocupação do solo da Cidade, pois tem a função de atribuir o zoneamento e a classificação viária para cada lote do município. A partir da incorporação das ferramentas de geoprocessamento desenvolvidas pela PRODAM foi possível visualizar geograficamente os dados, identificando as áreas de uso residencial, comercial, industrial, ambiental, mistas, dentre outras. Esse novo cenário contribuirá para a elaboração do novo Plano Diretor da Cidade, além de subsidiar a revisão da Lei de Zoneamento e dos Planos Regionais Estratégicos de cada Prefeitura Regional.

O projeto criou mecanismos para a manutenção da base de dados do Sistema, utilizado pelo Departamento do Uso do Solo (DEUSO) através de recursos de geoprocessamento. Esses recursos disponibilizam informações que auxiliam nos processos do Departamento, como, por exemplo, nas consultas de viabilidade de construção ou uso e ocupação do solo.

Como lembra a coordenadora do Núcleo de Geo, Andréa Croso Weick, “nos processos antigos para realizar a revisão do zoneamento de uma prefeitura regional, o trabalho era feito utilizando mapas em papel e planilhas de Excel e demorava seis meses ou mais. Com a automatização dos procedimentos este tempo foi reduzido para menos de dois meses. Houve um ganho enorme na agilidade e produtividade”.

O projeto permitiu a automatização da integração dos dados da alta plataforma do Sistema e demais sistemas legados, como Cadastro Territorial e Predial de Conservação e Limpeza (TPCL), Cadastro de Edificações (CEDI) e Cadastro de Logradouros (CADLOG). Através do software a equipe técnica da SMDU tem acesso às informações necessárias para análise de processos de consulta de zoneamento e à atualização do próprio SISZON.

Como define o diretor do DEUSO, Daniel Todtmann, “os servidores da Prefeitura poderão ver o SISZON em base georreferenciada e compreender melhor o zoneamento para cada lote da cidade. Isso facilita o trabalho de todos, confere transparência às informações e pode evitar demandas de consultas ao zoneamento ou, pelo menos, tornar tais demandas mais precisas”.